Hoje a cidade de Florença presta homenagem a São Lourenço, o co-padroeiro da cidade. São Lourenço no dia 10 de gosto de 258, foi martirizado e morto em Roma queimado em cima de uma grade. Na Florença medieval era comum, no dia dedicado ao Santo, cortar a carne bovina em pequenos pedaços, queimar na grelha e distribuir para o povo. Segundo a tradição, foi assim que nasceu a famosa bisteca fiorentina.

Quem foi São Lourenço?

Segundo as escarças notícias biográficas, Lourenço nasce na Espanha, em uma pequena cidade chamada Huesca (em catalão Osca). A família de Lourenço, iluminada e rica, o enviou a Saragoza, onde o jovem Lourenço completou os seus estudos teológicos e humanistas. Nesta cidade, um dos seus professores era um homem de origem grega, mas muito amado pela sua sabedoria, considerado um dos melhores homens da cidade. O professor de Lourenço, mais tarde foi eleito Papa com o nome de Sisto II, e entre eles nasceu uma amizade que durou por toda a vida.

O Diácono e o Papa

Lourenço era um jovem altruísta, gentil, de grande sensibilidade e inteligência. Muito estudioso, ele se sobressaia sempre perante o seu professor (o futuro Papa) e a amizade entre eles crescia cada vez mais, principalmente pelos sonhos em comum e pelas suas escolhas de vida. O maior sonho de ambos era ir até a Cidade Eterna, sede da religião Cristã, onde Pedro havia estabelecido a sua sede. Era em Roma que o futuro Papa e o seu aluno desejam viver para na fé para contribuir na evangelização do povo. Foi assim que eles decidiram, de comum acordo,  deixar a Espanha e ir viver em Roma, praticando a sua vocação.

No dia 30 de agosto de 257, o professor foi eleito Papa com o nome de Sisto II e assim ele chamou o seu discípolo e amigo Lourenço para ter o cargo de Protodiáco (o cardeal mais velho da ordem dos Cardeais-Diáconos. Hoje o Protodiáco tem o privilégio de anunciar, depois de uma eleição papal, o Habemus Papam da famosa janela do Vaticano). Lourenço era uma espécie de Ministro Financeiro da Igreja no papado de Sisto II, com a tarefa precisa de administrar as bens e as ofertas e então distribuí-las entre os necessitados.

Amigos até a morte

Martírio de São Lourenço, Rosso Fiorentino - Florença

Martírio de São Lourenço, Bronzino – Florença

Após um ano de pontificado, no dia 06 de agosto de 258,  surpreendido quando celebrava a Eucaristia na Catacomba di Pretestato, Sisto II e Lourenço foram presos por vontade do Imperador Valeriano. Sisto II foi martirizado e morto.  Quando Lourenço soube da notícia, correu chorando onde se encontrava  Sisto II e lhe perguntou como poderia fazer para viver sem o seu mestre e amigo, quase um pai. O Papa lhe respondeu que em quatro dias, Lourenço também estaria morto de forma mais atroz e difícil. De fato, Sisto foi morto com uma espada e Lourenço queimado vivo numa grade, como se fosse um churrasco, uma tortura difícil e cruel contada por diversos autores. Era 10 de agosto de 258.

Existem outras versões sobre a morte de Lourenço, como por exemplo a decapitação, mas aquela mais aceita é a morte sobre a grade contada por Santo Ambrosio.

Santo Ambrósio, no seu livro De Officis Ministrorum, nos conta com grandes detalhes o martírio de Lourenço. O Bispo de Milão inicia contando o encontro de Lourenço com o Papa, o qual o Protodiácomo chora porque perderá o seu mestre e Sisto II o consola. Depois Ambrósio prossegue contando do martírio de Lourenço e da famosa frase dita pela Santo momentos antes de morrer: “Assum est, versa et manduca” – já estou torrado desta parte, pode me girar e depois me comer. Tempos depois, essa frase deu origem a tradição que diz que depois de queimado, o corpo de Lourenço foi cortado e dado como alimento ao povo faminto.

Para relembrar estes acontecimentos, foram erigidas em Roma três igrejas: San Lorenzo in Fonte (local da prisão), San Lorenzo in Panisperna (local do martírio) e San Lorenzo al Verano (local da sepultura).

Segundo uma outra tradição, um legionário romano, presente no martírio, recolheu com um pedaço de pano o sangue do Santo. A relíquia é conservada a Amaseno, Província de Frosinone na região do Lazio, e a cada ano, o sangue se liquefaz, como o de São Januário em Nápoles.

Basílica de São Lourenço, Florença

Muitas cidades italianas possuem igrejas dedicadas a São Lourenço. Em Florença, a igreja oficial da família Medici é dedicada ao Santo. Um dos Medici mais amado se chamava Lourenço, o Magnífico. Hoje dia de São Lourenço, em frente a Basílica dedicada ao Santo, a prefeitura de Florença, distribui jantar e melancias gratuitamente.

São Lourenço é padroeiro da cidade de Grosseto na Toscana, Roterdam e de muitas outras cidades, é impossível citar todas. Além disso, o Santo é co-padroeiro das cidades de Roma, Florença e Perugia.

A noite de São Lourenço

Todos os anos, entre o fim de julho e início de agosto, durante a própria órbita, a Terra atravessa um enxame meteórico constituído de um conjunto de fragmentos deixados pela passagem do cometa Swit-Tuttle. Essa é a razão da chuva de meteoros que acontecem nas noites desse período do ano. A tradição diz que a noite de maior intensidade do fenômeno é a noite de São Lourenço, ou seja 10 de agosto. Porém, na realidade, a chuva de meteoros é de maior intensidade em torno do dia 12 de agosto. As Perseidas, é assim que os astrônomos chamam os meteoros porque parece que elas provêm da constelação de Perseu, mas todos conhecemos como o nome de estrela cadente, ou mais poeticamente “Lágrimas de São Lourenço”.

Buon San Lorenzo a tutti!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *