No artigo de hoje, vamos conhecer duas das amantes de Cosimo I dos Medici. Sabemos que Cosimo I esposou Eleonora de Toledo, espanhola, filha do vice-rei de Nápoles. Sabemos também que apesar de ter sido um casamento com grande interesse político, no final foi um matrimônio muito feliz. O duque Cosimo realmente amou muito Eleonora de Toledo e foi um marido fiel.

Cosimo I de’ Medici

O problema é que o nosso duque Cosimo ficou viúvo muito jovem em 1562. E é aí que começa a nossa história de hoje: as amantes de Cosimo I.

Sforza Almeni, o fiel servidor

Sforza Almeni pertencia a uma antiga e nobre família de Perugia e se estabeleceu em Florença no início do século XVI, recebendo assim a cidadania florentina no ano de 1542.

Sforza foi um fiel servidor de Cosimo I dos Medici por 24 anos. Recebeu de Cosimo, o grão-duque, diversas condecorações, como por exemplo o título de Cavaleiro de Santo Estêvão (Cavalieri di Santo Stefano). Recebeu também de Cosimo I um palácio na atual via dei Servi.

Ser secretário pessoal e confidente do grão-duque era um cargo que poderia trazer muitos perigos. Um dia Sforza Almeni, revelou ao filho primogênito de Cosimo I, Francesco a relação que o grão-duque tinha com uma jovem chamada Eleonora degli Albizzi. Cosimo I era viúvo e era 24 anos mais velho que a jovem Albizzi. Sforza pagou com a vida a revelação desse segredo.

Era o dia 22 de maio de 1566 e foi Cosimo I em pessoa, que matou o seu fiel servidor Sforza Almeni, com um golfpe de tridente no coração.

Eleonora degli Albizzi

Eleonora degli Albizzi era filha de Luigi degli Albizzi e Nanina Soderini. A relação de Cosimo e Eleonora degli Albizzi iniciou no ano de 1565. Apesar dos protestos de Francesco, Eleonora degli Albizzi conseguiu ter dois filhos de Cosimo I. A primeira filha morreu ainda bebê e não conhecemos o seu nome. O segundo filho, Don Giovanni, nasceu em 1567.

Don Giovanni de’Medici, filho de Cosimo I e Eleonora degli Albizzi

Os filhos legítimos de Cosimo I fizeram de tudo para eliminar Eleonora degli Albizzi, até por fim conseguiram obrigá-la a esposar Carlo Panciatichi, que recebeu como “prêmio” o perdão de uma condenação de morte, além de 10.000 scudi.

Eleonora teve três filhos de Carlo, entre os quais é lembrado Bartolomeo (nascido em 1577 e casado com Maria Gianfigliazzi). Mais tarde, em 1578, Eleonora foi repudiada pelo marido por adultério e foi forçada a entrar no mosteiro de Fuligno, em Florença, onde viveu por 56 anos, morrendo em 1634.

Camilla Martelli

Camilla Martelli (1545-1590)

Cosimo I, apesar de doente, não perdeu tempo e substituiu Eleonora degli Albizzi por uma outra mais jovem ainda: Camilla Martelli. Cosimo também teve uma filha com Camilla, que recebeu o nome de Virginia. Mas desta vez, o nosso grão-duque conquistador, teve que remediar a situação. Pio V, o Papa da época, interferiu e obrigou Cosimo I a esposar Camilla Martelli.

Após a morte de Cosimo I, Camilla Martelli foi obrigada a retirar-se em um convento. Na época Camilla havia apenas 29 anos de idade, mas conseguiu autorização de Francesco I, filho primogênito e sucessor de Cosimo I, para sair do convento em ocasião do matrimônio da filha Virginia.

Virginia de’Medici, filha de Cosimo I e Camilla Martelli

Durante o reino de Ferdinando I, irmão e sucessor de Francesco I, Camilla recebeu autorização de deixar o convento e ir morar na Villa Medicea de Lappeggi, localizada entre Grassina e Antella.


Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.