Em homenagem ao Dia de Reis, hoje iremos conhecer um pouco de uma obra muito importante que faz parte do acervo da Galleria degli Uffizia Adoração dos Magos de Gentile da Fabriano.

Os Reis Magos é um tema muito importante em Florença e existem diversas obras de artistas como Botticelli, Leonardo da Vinci que representam essa festa Cristã. Inclusive, no Renascimento, a família Medici desfilava pelas ruas da cidade em homenagem aos Santos Reis.

A Adoração dos Reis Magos de Gentile da Fabriano

Adoração dos Magos de Gentile da Fabriano

O retábulo que leva a assinatura do mestre e a data de 1423, constitui a obra-prima de Gentile, o expoente mais importante do gótico internacional na Itália. Gentile da Fabriano demonstra um domínio extraordinário no uso de técnicas especiais, como por exemplo, aqueles evidenciados pela quantidade visível de folha de metal. As folhas de ouro por exemplo, foram usadas em muitas partes em auto-relevo para dar tridimensionalidade a objetos como as esporas do cavaleiro ou o cabo da espada.

A obra foi encomendada em 1423 por Palla Strozzi, um rico banqueiro e comerciante, além de ser um dos homens mais poderosos da cidade. O precioso retábulo foi encomendado para decorar a capela da família Strozzi,  localizado na sacristia da igreja Santa Trinitá em Florença.

O tema da Adoração dos Magos era ideal para colocar em cena uma suntuosa representação sacra que celebrasse a riqueza da família Strozzi e a grande técnica de Gentile da Fabriano.

No fundo da composição, harmonizada na paisagem montanhosa do horizonte, mas visualmente separada dos três arcos na parte superior do quadro, inicia a narração da obra. Á esquerda o episódio do avistamento da estrela por parte dos Reis Magos; Na luneta central, é representada a viagem; e à direita, finalmente, a chegada dos Reis Magos a Jerusalém.

Os Reis Magos em adoração

No final de uma longa viagem, os Magos, guiados pela estrela, chegam na presença do Messias que acaba de chegar ao mundo  e prostram-se aos pés da Sagrada Família, oferecendo presentes preciosos.

Na parte central da obra é representada a procissão que segue os Reis Magos, composta inclusive com animais exóticos (onça, macacos).

Maria com o Menino Jesus, rodeada por duas elegantes servas e José, é sentada em frente a um estrutura arquitetônica que lembra o portão de entrada de uma cidade. 

A cena é repleta de um clima mágico, como uma história de contos de fadas, ideal para celebrar o luxo da burguesia mercantil fiorentina.

Em frente ao Menino Jesus, se ajolha sem coroa, o Rei Mago mais idoso, o qual recebe na cabeça calva, uma afetuosa carícia. Logo em seguida, os outros dois Reis Magos oferecem os seus presentes. No Mago mais jovem, um servo desamarra as suas esporas.

No centro, Palla Strozzi e seu filho Lorenzo

As duas figuras colocadas no centro da cena são os financiadores da obra: Palla Strozzi com a águia e o turbante azul e seu filho Lorenzo, com o chapéu vermelho.

Todo o grupo veste roupas luxuosas, caracterizadas por elaborados motivos e tecidos preciosos, ou seja, aqueles comercializados por Palla Strozzi.

Muitos detalhes, como as coroas, as auréolas, os arreios dos cavalos demonstram a habilitade técnica de Gentile da Fabriano, seja na pintura como na arte da ouvesaria. 

Detalhe da moldura florida

Na esplêndia moldura dourada são representadas diversas espécie de flores, com grande precisão nos detalhes.

A predela (a parte inferior do retábulo) é composta de três partes retangulares que representam a Natividade, Fuga ao Egito e a cópia da Apresentação ao Templo, que em 1903 foi feita por Gaspare Diomede della Bruna. A predela original se encontra no Louvre desde do século XIX. 

Na predela, em vez do fundo dourado da tradição medieval, as cenas apresentam o céu azul, uma prova do interesse pela natureza e a incipiente afirmação dos cânones culturais e estéticos da Renascença.

Desejas conhecer essa e outras obras da Galleria degli Uffizi? Reserve já a sua visita guiada com o Guia de Florença.


Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

2 comentários

Maria de Lourdes malabarba · janeiro 6, 2019 às 10:42 pm

Que de uma verdeira obra !

    admin · janeiro 8, 2019 às 8:01 pm

    Um abraço e obrigada pela participação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *