Hoje contamos a história de Chiara Fancelli, uma mulher de Florença que talvez muitos de vocês nunca ouviram falar. No entanto, muitas vezes quando você visitou os museus italianos ou uma exposição, com certeza a viu. Chiara Fancelli foi a modelo e a esposa do “Divino Pintor”, Pietro Perugino.

Breve biografia

Nem a data nem o local de nascimento da musa são conhecidos com precisão. Nossa modelo nasceu provavelmente na cidade de Florença ou Fiesole por volta de 1470. Outro fato fundamental é que ela era filha de Luca Fancelli, arquiteto e escultor, aluno e assistente de Brunelleschi. Portanto, é provável que ela estivesse sempre em contato com o mundo dos artistas do final do século XV.

Assim, não é por acaso que sua bela fisionomia se tornou efígie para tantas Nossa Senhora feitas por Perugino, mas também por outros artistas, incluindo seus alunos, principalmente Rafael. A jovem Chiara se casou com Perugino no dia 1 de setembro de 1493, dando à luz a cinco filhos nos anos seguintes, dos quais três eram homens e duas mulheres. E também dando ao marido um dote de 500 florins de ouro.

A Musa de Perugino

Depois do casamento a imagem de seu rosto redondo, com a boca estreita e um queixo gradualmente afunilado, tornou-se, a partir de 1494, um verdadeiro ícone da arte da época. Chiara alcançou tal popularidade iconográfica que se tornou, na virada dos séculos XV e XVI, um dos modelos de referência mais difundidos para representar a Virgem e outras personagens femininas.

Perugino – Galleria degli Uffizi – Florença

Chiara Fancelli ficou viúva em 1523, após exatamente trinta anos de matrimônio, passando a administrar a colocação e a venda das últimas pinturas de Perugino. Ela enviou uma carta a Isabella d’Este em 6 de outubro de 1524, para propor a grande colecionadora uma pintura de seu falecido marido: Marte e Vênus surpreendidos por Vulcão. Mas a marquesa de Mântua recusou a oferta, talvez porque não estivesse interessada na arte de Perugino, agora superada por outros artistas jovens e promissores.

Maria Madalena – Perugino – Galleria Palatina – Florença

A minha obra preferida que representa Chiara Fancelli é Maria Madalena, feita por Pietro Perugino por volta de 1500 e mantida na Galeria Palatina em Florença. A imagem da santa segue fielmente a fisionomia de Chiara, que nos revela uma mulher elegante e refinada. Mas também simples e severa com aquele olhar com as pálpebras ligeiramente abaixadas.

A morte de Chiara Fancelli

Chiara Fancelli morreu em Florença em 21 de maio de 1541 e foi enterrada na Basílica da Santíssima Annunziata, dentro do claustro dos mortos. Ela repousa na cidade que a transformou em um ícone do Renascimento.

Achou este artigo interessante?
Compartilhe em sua rede de contatos do Twitter, no seu mural do Facebook. Compartilhar o conteúdo que você considera relevante ajuda esse blog a crescer. Grazie!


Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *