O Rapto das Sabinas, é uma das obras mais famosas do escultor nascido em Douai, Flandres, (hoje França) Jean de Boulogne. Conhecido na Itália como Giambologna, foi considerado um dos maiores seguidores de Michelangelo. Jean de Boulogne chegou na Itália em 1550 com o objetivo de estudar a estatuária clássica e as obras realizadas por Michelangelo.

Inicialmente Giambologna se estabeleceu em Roma, depois se transferiu para Florença onde trabalhou para a família Medici. A obra O Rapto das Sabinas, foi esculpida em um único pedaço de mármore, é datada do ano de 1583.  Com cerca de 4.10 metros de altura, a obra se encontra na Piazza della Signoria dentro da Loggia dei Lanzi em Florença e retrata um episódio lendário da fundação da cidade de Roma.

A obra representa um homem jovem levantando uma mulher em seus braços, mas durante o ato o homem é bloqueado por um homem mais velho que está entre as suas pernas A escultura se caracteriza por um movimento circular, onde podemos observar um interessante movimento de corpos. A moça no alto parece uma bailarina que rodopia no ar. E’ uma obra que expressa muita harmonia, sensualidade e força.

rapto-das-sabinas

Interessante o diálogo ativo criado entre a obra e o expectador, o qual é convidado a observar a grande escultura em todos os ângulos, buscando diversos pontos de contemplação e não de apenas o plano frontal, como ocorre na pintura.

Quando Francesco I dos Medici viu a obra ficou tão entusiasmado que ordenou sua instalação na Loggia dei Lanzi, na praça principal da cidade, junto ao Palazzo Vecchio. 

Na base há uma placa de bronze com a cena do rapto, representada em diferentes dimensões, com diferentes profundidades de relevo e sempre combinando as figuras de maneira diferente.

O que diz a lenda?

 

O “Rapto das Sabinas”, ou o sequestro das mulheres sabinas, é descrito pelo historiador latino Tito Livio e pelo historiador grego Plutarco e é uma das histórias mais antigas da história de Roma. A lenda diz que na época da fundação de Roma, Romulo tinha um grande problema para resolver: povoar a nova cidade. Ele havia convidado para a nova cidade alguns pastores, mas o número de mulheres era muito reduzido.

Romulo então organizou uma grande festa em homenagem ao Deus Netuno e convidou os Sabinos, um povo que vivia vizinho a Roma. Durante a festa entre musicas e danças, os jovens romanos armados aproveitaram-se do momento em que os Sabinos estavam indefesos para raptar as mulheres sabinas. Os Sabinos embriagados e desarmados tiveram que fugir, pois não estavam preparados para a batalha. De acordo com o historiador Tito Livio, nenhuma violência foi usada contra as mulheres e Romulo ofereceu às mulheres direitos civis e de propriedade na recém-fundada cidade de Roma.

Depois, os sabinos retornaram à Roma para tentar reaver suas mulheres, prontos para a guerra contra os romanos, mas as mulheres Sabinas foram capazes de evitar a guerra entre os dois povos. As mulheres sabinas conseguiram trazer a paz ao lugar da guerra.

rapto-das-sabinas

Na Sala do Colosso na Galleria dell’Accademia em Florença, é possível admirar o modelo preparatório feito em gesso do Rapto das Sabinas de Giambologna.

Categorias: ArteFlorença

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para continuar navegando, aceite a nossa política de cookies Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close