Hoje vamos conhecer uma obra contemporânea que propõe uma reflexão sobre a acessibilidade aos locais da cultura na era da Covid-19. Trata-se da obra A Ferida do Artista urbano francês Jean Rene, conhecido como JR.

Com 28 metros de altura e 33 metros de largura, a instalação monumental de JR propõe uma espécie de fenda na fachada do Palazzo Strozzi, que abre uma visão de um local real e imaginário ao mesmo tempo.

A obra, criada a partir de uma colagem fotográfica em preto e branco típica do estilo do artista, é construída como uma anamorfose, um jogo ilusionista em que, Como um jogo ilusionista observando de um ponto de vista preciso, se abrem diante dos olhos, como se fosse uma ferida, diferentes salas do Palazzo Strozzi: a colunata do pátio, uma sala de exposições imaginária e uma biblioteca.

Podemos observar o patio do Palazzo Strozzi, uma sala de exposições imaginarias com obras de Botticelli e de Giambologna e uma biblioteca.

Ao inserir obras icônicas do patrimônio artístico florentino e citar diretamente um lugar real como a biblioteca do Instituto Nacional de Estudos do Renascimento, JR propõe uma reflexão direta e sugestiva sobre a acessibilidade não apenas ao Palazzo Strozzi, mas a todos os locais culturais do mundo na época da Covid-19.

O Palazzo Strozzi torna-se assim o palco espetacular de uma ferida, simbólica mas dolorosa, que une todas as instituições culturais: museus, bibliotecas, cinemas e teatros, obrigados a limitar ou ainda, não permitir o acesso do público aos seus espaços.

A obra ficará exposta até o dia 22 de Agosto de 2021.


Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *