Hoje celebramos Sebastião, padroeiro do meu Rio de Janeiro! Me lembro quando era menina, que neste dia andavámos em procisão pelas ruas do centro do Rio até chegar a Catedral de São Sebastião na Avenida Chile para participar da missa.Para homenageá-lo escolhi uma obra pouco conhecida pela maioria dos viajantes de Florença, mas muito interessante realizada pelo Guercino. A obra é conservada na Galleria Palatina, Palazzo Pitti e é datada de 1653.

Obra do artista bolonhês Giovanni Francesco Barbieri conhecido como Guercino, a pintura retrata São Sebastião, um oficial da guarda pretoriana do imperador Diocleciano, condenado ao martírio nas mãos de arqueiros pois sua fé no cristianismo foi descoberta. O jovem sobreviveu a essa tortura e foi curado por santa Irene, que foi buscar seu corpo para sepultá-lo. Sebastião morreu na sequência de uma segunda condenação ao martírio, desta vez executado por flagelação.

sao-sebastiao-guercino
São Sebastião – Guercino – 1653 – Galleria Palatina – Palazzo Pitti – Florença

A tela pertence à fase tardia, mas ainda fecunda e estilisticamente feliz do artista e foi encomendada pelo príncipe de Pesaro para doá-la ao cardeal Giovan Carlo dos Medici, conforme consta em uma carta de agosto de 1653, guardada na Arquivos do Estado de Florença.

O presente foi certamente apreciado, pois Giovan Carlo era um grande admirador da escola bolonhesa de pintura e decidiu colocá-la em sua residência florentina, o Casino degli Orti Oricellari na via della Scala, que ele recebeu como presente de seu irmão Grão-Duque Ferdinando II e que foi transformado em um tesouro de obras-primas artísticas.

A ambientação da cena em uma paisagem escura, iluminada por vislumbres cênicos de luz, destaca o corpo jovem do mártir, claramente inspirado em um torso antigo, mas sem deixar aquela evidência naturalista que o torna tão efetivamente comovente para quem o contempla. O anjo do canto superior esquerdo parece querer consolar Sebastião em um diálogo de olhares significativo e tocante, tornado ainda mais emocionante pelas luzes que cercam o anjo e emolduram os olhos do mártir.


Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.