Hoje 18 de outubro celebramos São Lucas Evangelista, protetor dos artistas e dos médicos.

Lucas nasceu em Antioquia da Síria, (hoje Antáquia, na Turquia) e morreu na Grécia no ano de 93.

De família pagã rica, estudou medicina, profissão que ele exercitou na sua cidade natal. Viajou para a Grécia e para o Egito para estudar. Sucessivamente viajou para Troade, onde aconteceu o encontro que iria mudar a sua vida. Alí conheceu Paulo de Tarso, do qual foi discipulo. Lucas foi um fiel companheiro de Paulo até a morte. Paulo citou Lucas em uma das suas cartas como “caro médico”.

O Evangelho de Lucas

Lucas era muito culto para o seu tempo, conhecia a língua grega e por isso havia um conhecimento profundo da Bíblia na versão grega.

No seu Evangelo Lucas fala de Jesus e da sua infância, o qual ele não conheceu pessoalmente, mas certamente teve contato com amigos, os apóstolos e provavelmente Maria, pois somente ela poderia lhe contar do Menino Jesus.

De fato Lucas foi o único Evangelista que narrou fatos detalhados da infância do Pequeno Jesus, além de numerosos eventos da vida de Maria. Certamente Lucas se inspirou nos Evangelhos de Marcos e Mateus, pois teve a oportunidade de conhecê-los, além dos contos de outras pessoas que haviam frequentado Jesus.

No seu Evangelho, Lucas narra com grandes detalhes o nascimento da comunidade Cristã após o Pentecoste. Lucas é identificado também como o escritor dos Atos dos Apóstolos. A tradição diz que Lucas além de médico foi um grande pintor.

São Lucas pintor

Poucos sabem que São Lucas – de acordo com uma tradição tão consolidada quanto sem fundamento – teria sido um pintor habilidoso, especializado na criação das Nossa Senhoras negras. A tradição é ligada em uma frase do Evangelho escrito por ele, pronunciada por Simão durante a apresentação de Jesus no templo:

Lucas 2:34,35

E Simeão os abençoou, e disse a Maria, sua mãe: Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado

(E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações.

Virgem Negra de Częstochowa
Virgem Negra de Częstochowa

No cromossimbolismo dos ícones, o preto, lembramos, é uma expressão de tristeza, de modo que as Madonnas negras que se acredita serem obras de São Lucas não seriam senão “Madonnas tristes”.

Os retratos realizados por Lucas teriam sido preservados por séculos em Roma e em Jerusalém, dando lugar a uma ampla série de réplicas.

No Renascimento era muito comum representar São Lucas pintando a Virgem Maria. Escolhi as minhas duas obras-primas preferidas para colocar neste artigo. Uma é de Giorgio Vasari e se encontra em Florença e a outra é de Rogier van der Weyden, atualmente em Boston.

Rogier van der Weyden: São Lucas desenhando a Virgem

 Rogier Van Der Weyden , São Lucas desenha a Virgem, 1435 cerca - Boston
Rogier Van Der Weyden , São Lucas desenha a Virgem, 1435 cerca – Boston

Esta obra mostra São Lucas, o santo padroeiro dos pintores, que pinta o retrato da Virgem Maria enquanto amamenta o menino Jesus. Certamente o rosto de Lucas é um autorretrato de Rogier Van Der Weyden, muito comum na época.

A obra é realizada pelo artista logo após sua chegada a Bruxelas. Jan Van Eyck e Robert Campin, dois dos maiores mestres da pintura flamenga do século XV, tiveram uma importância considerável na formação artística de Van Der Weyden. A técnica a óleo e sua atenção aos detalhes são uma reminiscência das pinturas de Van Eyck, enquanto a de Campin assume a sensação de espaço, a disposição dos volumes e a natureza dramática dos personagens.

O divino e o humano dividem o mesmo ambiente doméstico, e a Maria é retratada de maneira muito íntima enquanto amamenta a criança. Esse é o denominador comum para a Europa da época: o século XV procura trazer de volta à síntese harmoniosa. É o binômio homem-Deus, que na época medieval era vivido como uma fratura, como uma separação dolorosa.

Da intimidade íntima da cena em primeiro plano, passamos, através das colunas da loggia, até a vista da paisagem urbana e natural em segundo plano. Como na “Madonna do Chanceler” de van Eyck, também aqui o Mestre revela uma realidade que tem a tarefa de evocar de maneira concreta a presença do sobrenatural e a glória da criação divina. Observe como esse avanço da perspectiva ocupa a parte central da pintura, à medida que as figuras em primeiro plano são colocadas nas laterais dela.

São conhecidas quatro versões desta obra de Van der Weyden, das quais esta, preservada no Museu de Belas Artes de Boston, é com certeza o original, enquanto as outras são cópias que datam da segunda metade do século XV. O artista pintou para a capela de propriedade da guilda dos pintores (lembremos que São Lucas é seu santo padroeiro), erguida na igreja de Santa Gudula, em Bruxelas.

Giorgio Vasari: São Lucas que pinta a Virgem

São Lucas que pinta a Virgem Maria - Giorgio Vasari, Capela de São Lucas, Basilica da Santissima Annunziata, Florença.
São Lucas que pinta a Virgem Maria – Giorgio Vasari, Capela de São Lucas, Basilica da Santissima Annunziata, Florença.

A obra foi realizada por Giorgio Vasari em torno a 1565 para a Capela de São Lucas, conhecida também como Capela dos Pintores na Basílica de Santissima Annunziata em Florença. Alguns membros ilustres repousam na capela: Pontormo, Benvenuto Cellini, Franciabigio, Lorenzo Bartolini e Rodolfo Siviero.

Vasari pintou no centro do afresco a figura de Lucas no ato de retratar a Virgem e o Menino apoiados pelos Querubins, que fica à esquerda da obra. No fundo da cena, é possível ver cenas de artistas trabalhando na bottega. Interessante a caixinha com os pincéis representando a esquerda, no chão.

Atrás de São Lucas, o boi alado, símbolo do Santo, O touro alado faz parte da iconografia do Santo porque o primeiro personagem que ele introduz em seu Evangelho é o pai de João Batista, Zacarias, um sacerdote do templo e responsável pelo sacrifício de touros.

A morte de São Lucas

Morreu aos 84 anos em Tebas, atual Grécia. Segundo São Geronimo, o corpo de Lucas foi levado depois da metade do século IV para Constantinopla, na igreja dos Santos Apóstolos. Seu corpo repousa na Igreja de Santa Giustina em Padova, Itália, enquanto uma parte do crâno se encontra na Catedral de San Vito, em Praga.

São Lucas é padroeiro dos artistas, pintores, escultores e
médicos.


Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *