Encomendado em 1444 por Cosimo il Vecchio, o Palazzo Medici é um modelo fundamental da arquitetura civil na Renascença. A construção é confiada ao arquiteto Michelozzo, em detrimento do colega Filippo Brunelleschi, julgado por Cosimo “muito sumptuoso e magnífico”.

Fachada do Palazzo Medici – Florença

Além de ter sido a residência particular da família Medici, local onde viveu o grande mecenas do Renascimento, Lorenzo, o Magnífico, o edifício tinha também uma função pública pois recebia figuras políticas muito proeminentes como Galeazzo Maria Sforza, Duque de Milão (de 1466-1476), retratato na Capela dos Reis Magos por Benozzo Gozzoli (1459) juntamente com membros da Família Medici.

Jardim interno do Palazzo Medici – Florença

Em 1494 a Família Medici foi expulsa da cidade. Assim o Palazzo foi confiscado juntamente com todo o patrimônio familiar contido nele pelo novo governo, nascido como resultado do movimento insurrecional liderado pelo frade dominicano Girolamo Savonarola. Obras como David e Judite de Donatello foram transferidas para o Palazzo della Signoria, sede da recém formada República.

Pátio do Palazzo Medici – Florença

De volta à cidade em 1512, os Medici voltaram a residir no Palazzo, conhecido também como o Palácio da Via Larga, resgatando assim à dignidade da residência da família reinante.

Detalhe da decoração do Pátio – Palazzo Medici – Florença

Em 1540 o jovem duque Cosimo I de ‘Medici decidiu deixar a casa da família em favor do mais estratégico Palazzo della Signoria. Todavia, o Palazzo Medici ainda foi habitado até 1659 por personagens secundários da família.

Considerado agora muito austero em comparação com o esplendor do tempo, em 1659 Ferdinando II dos Medici, vendeu o Palácio ao  marquês Gabriello Riccardi por quarenta mil scudi. A partir daí o palácio será chamado de Palazzo Medici-Riccardi. Os Riccardi ampliaram o palácio na parte norte,  além de algumas reestruturações na parte interna com intervenções de estilo barroco sumptuoso.

Palazzo Medici: detalhe do afresco de Luca Giordano – Rapto de Prosepina

É neste período que Luca Giordano (1682-1685), um dos maiores pintores barrocos da época, irá decorar o teto da galeria dos espelhos com um afresco representando a Apoteose dos Medici, enquanto a nova escadaria de entrada do palácio foi construída pelo arquiteto Foggini.

O rápido declínio econômico da família  devido a um estilo de vida luxuoso e desperdício de dinheiro, levou os Riccardi a vender o Palazzo Medici  em 1814 ao Estado que abrigou alí os escritórios administrativos, até 1874, quando o prédio foi comprado.pela Província de Florença (agora Città Metropolitana). Ainda hoje, o Palazzo  é sede da Prefettura e do Istituto Storico della Resistenza in Toscana, além do museu.

Palazzo Medici: Galeria dos Espelhos

Visitando o Museu você poderá admirar a Capela dos Magos, pintada em 1459 por Benozzo Gozzoli que retratou em suas paredes a Cavalgada dos Reis Magos. Na realidade a decoração aludiu explicitamente ao desfile realizado em Florença em 1439 em ocasião do Concílio. De fato, nos personagens pintados por Benozzo, muitos protagonistas do período são reconhecíveis, entre os quais se destacam os membros da família Medici.

Palazzo Medici: detalhe Capela dos Magos – Benozzo Gozzoli

Se desejas uma visita guiada no Palazzo Medici Riccardi, entre em contato conosco.

Categorias: Florença

Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

2 comentários

Beatriz Dias · setembro 2, 2020 às 11:33 pm

Em visitar Florence.. há previsão de quando brasileiros poderão ir?

    Cristiane de Oliveira · setembro 10, 2020 às 1:55 pm

    Beatriz, por enquanto a Italia ainda está fechado para o turismo vindo do Brasil. Na verdade, creio que somente o Brasil poderá responder a sua pergunta. As fronteiras serão reabertas quando os números de contagio do covid-19 no Brasil estará no mesmo nivel na Italia. Enquanto o Brasil estiver na lista de paises de risco, acho dificil a Italia abrir as fronteiras para o nosso pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *