Lucca é uma pequena cidade da Toscana e é famosa no mundo inteiro por causa das suas muralhas que chegaram até nós praticamente intactas. Muitas pessoas pensam que a muralha de Lucca é medieval, mas na verdade ela é renascentista.

Um pouco de história

Desde da Idade Antiga, cidades como Lucca eram frequentemente assediadas pelos temorosos vizinhos que visavam a conquista de territórios. Era muito comum que essas cidades construissem muralhas para se defenderem. Durante a sua história, Lucca construiu diversas muralhas, a primeira que temos noticias é de idade romana.

Acesso para caminhar em cima da muralha de Lucca

Os exércitos estrangeiros que atravessaram a Itália durante o Renascimento começaram a preocupar os governantes lucchesi (habitantes de Lucca). Lucca era uma cidade estado com um território muito reduzido e em 1429 o exército florentino havia assediado a cidade. O famoso arquiteto da cúpula do Duomo de Florença, Fillipo Brunelleschi, tinha desviado as águas do rio Serchio, construindo uma espécie de represa e um grande canal para abater a muralha medieval de Lucca. Para sorte dos lucchesi, o assédio florentino faliu.

Logo em seguida, Lucca perdeu os territórios da Garfagnana invadidos pelos Estensi, (disnatia italiana conhecida também como Casa d’Este, Senhores e depois duques de Ferrara e a Costa de Pietrasanta foi invadida por Gênova e posteriormente por Florença.

O assédio e a queda de Pisa em favor de Florença, convenceram Lucca que era hora de construir uma nova muralha. A muralha que existia, construida em época medieval, era obsoleta e incapaz de defender a cidade dos ataques das armas de fogo dos florentinos.

Foto: www.lemuradilucca.it

No verão de 1513, iniciou a construção da nova muralha de Lucca. Foram abatidos muitos edifícios e dois burgos, além duas igrejas antigas para dar lugar a nova estrutura defensiva. A atual muralha de Lucca foi construída com um notável esforço econômico que durou cerca de 137 anos. Este sistemadefensivo, garantiu a República de Lucca, paz e tranquilidade até achegada das tropas de Napoleão.

A função militar da muralha de Lucca

Detalhes da muralha de Lucca

A defesa em tempos de paz era geralmente concentrada no período noturno, pois era o momento mais propício para a cidade ser pega de surpresa. No cair da noite as portas eram fechadas e os habitantes tinham que ficar atentos pois poderiam passar a noite do lado de fora da muralha. As chaves das três portas que existiam na época, eram guardadas pelo chefe do governo, o chamado Gonfaloniere.

Ao mesmo tempo, toda a máquina defensiva das muralhas era ativada: os comissários dos baluartes, os soldados que guardavam as canhoneiras e os parapeitos. Dois grupos de patrulhas percorriam a muralha em direções opostas, supervisionando e verificando toda a organização, pedindo a senha secreta para cada soldado que fosse encontrado caminhando na muralha. Durante a noite era feito uma grande comunicação entre os baluartes utilizando os sinos das torres para assegurar que tudo estava bem, e assim os habitantes de Lucca dormiam tranquilos.

Ao amanhecer, o som de tambores prolongados anunciava a chegada do novo dia, e claro, a reabertura dos portões da muralha. Esta fase, de reabertura dos portões era a mais complicada, já que existia uma grande possibilidade de invasão.

Em Lucca, a milícia urbana era composta por cerca de 1.500 cidadãos entre 18 e 50 anos de idade,
que entravam em ação apenas em caso de alerta máximo. Normalmente, as muralhas tinham um contingente de cerca de 300 soldados.

Cada baluarte tinha um comissário, três bombardeiros (responsáveis pelo cuidado e perfeito funcionamento da artilharia) e um número de soldados que variavam de 17 a 26 por baluarte. Em cada portão eram designados 30 soldados e um responsável que controlava a ponte levadiça.

A muralha de Lucca hoje é totalmente livre de artilharia, mas no século XVIII, havia cerca de 124 canhões. Em julho de 1799 – após a batalha de Trebbia – os franceses se retiraram de Lucca, que foi ocupada pelos austríacos. O general Johann von Klenau ordenou que toda a artilharia das muralhas fosse levada para Mantova e e infelizmente, ela nunca mais voltou, com grande pesar dos lucchesi. O inventário detalhado da artilharia roubada contava com 58 grandes canhões, 47 canhões menores, 13 morteiros para bombas, totalizando 116 peças.

O parque da muralha de Lucca

A muralha de Lucca representa uma realidade única no panorama da arquitetura e do planejamento urbano europeu e foram construidas entre os anos de 1513 e 1650. Trata-se de um dos maiores exemplos de fortificação do Renascimento italiano. Atualmente as muralhas não possuem mais uma função militar, mas se transformaram em um grande parque público arborizado que rodeia e delimita a cidade com cerca de 4,2 quilômetros onde é possível caminhar, correr e andar de bicicleta. As muralhas são, portanto, um recurso urbano de grande importância para a cidade.

Os cidadãos de Lucca vivem intensamente as muralhas, escolhendo-as como um espaço aberto para passar seu tempo livre entre caminhadas, esportes e reuniões. Esta união entre paz e vitalidade não passa despercebida nem ao grande número de turistas que, todos os dias, encontram nas muralhas o local ideal para uma caminhada. Entre árvores frondosas, há um espaço verde inserido de forma inteligente no contexto da cidade e uma vista sugestiva das torres que emergem dos telhados da cidade.

Desejas visitar Lucca e conhecer mais detalhes da muralha? Entre em contato e reserve já a sua visita conosco!

Categorias: Lucca

Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.