Se em tempos de coronavírus não podemos visitar os museus, agora são os museus que entram em nossas casas graças à Internet. Assim, no artigo de hoje, vamos conhecer 10 museus italianos para visitar sem sair de casa.

O Minestero per il Beni e le Attività Culturale del Turismo, após o fechamento dos museus em todo território italiano fez um apelo aos protagonistas do mundo da cultura para explorarem o poder da tecnologia e da Internet. As respostas foram imediatas e agora, com as hashtags #iorestoacasa (estou em casa) e #artechecura (arte que cura), #litaliachiamo (Itália chamou), alguns dos principais museus italianos responderam ao chamado do Ministério, marcando assim uma evolução inesperada e repentina do mundo virtual na arte.

10 museus italianos para visitar sem sair de casa

01)Palazzo Bentivoglio – Bolonha

Em Bolonha, o Palazzo Bentivoglio decidiu transformar seu perfil do Instagram em um espaço de exibição virtual. Agora, o instragram é o diário da visionária artista Sissi, que a cada dia nos conta como “vestir” o tempo que passa. Uma maneira alternativa de conhecer a sua exposição “Vestimenti”.

02) The Peggy Guggenheim Collection – Veneza

A coleção Peggy Guggenheim é um dos museus mais importantes da Itália quando falamos da arte européia e americana do século XX. Visitas virtuais podem ser feitas no site e, além disso, o museu oferece vídeos sociais no Facebook e Instagram, dedicados à vida de Peggy Guggenheim e algumas obras-primas da sua coleção. A equipe do museu explora as obras, e nos convida a descobrir seus segredos, além do Art Quiz.

3)Pinacoteca di Brera – Milão

Entre os primeiros museus a dar uma resposta aos caçadores de beleza em plena emergência do coronavírus, a Pinacoteca di Brera oferece um rico programa cultural disponibilizado em seu site e nos canais do Instagram e do Facebook. São vídeos que consistem na leitura de contos de fadas para crianças e contos das atividades que ocorrem dentro do museu. A iniciativa se chama “Voci dal Museo – My Brera” (Vozes do Museu – My Brera) onde os funcionários da Pinacoteca e da Biblioteca Nacional Braidense apresentam as obras do museu. São disponíveis também conteúdos dedicados à música e à descoberta do museu para as famílias.

4)MAXXI – Roma

O MAXXI – Museu Nacional das Artes do Século XXI envolveu especialistas em arte, filósofos, escritores, criando um um rico palimpsesto virtual. No Facebook, Instagram, Twitter, artistas e curadores acompanham a descoberta das exposições com as obras mais representativas.

5)Uffizi – Florença

Diversas exposições virtuais dos Uffizi estão disponíveis (veja aqui) no site do museu. Com a emergência coronavírus, esse templo da arte italiana também nos faz companhia no Instagram, Twitter, Youtube e na nova página do Facebook com a campanha Uffizi Decameron: fotos, vídeos e histórias dedicadas às obras de arte conservadas na Galeria das Estátuas e Pinturas, no Palácio Pitti e nos Jardins de Boboli. Os assistentes do museu também ilustram algumas das mais belas salas das galerias, conteúdos especiais dedicados a Rafael e as suas obras. Em 2020 comemoramos o aniversário dos 500 anos da morte de Rafael Sanzio.

06)Parque Arqueológico do Coliseu – Roma

O Parque Arqueológico do Coliseu também respondeu ao apelo do Ministério da Cultura e fez publicações diárias no Facebook e no Instagram que atraem a atenção de todas as idades. Nas redes sociais são disponibilizados monumentos, obras-primas e contos como por exemplo, aqueles dedicados as figuras históricas femininas, à tradição do Grand Tour, à exposição “Carthago – O Mito Imortal”. Os curadores oferecem idéias e questionários projetados para envolver também as crianças.

07)Castelo de Rivoli – Turim

Não é uma simples visita virtual, agora o Museu de Arte Contemporânea Castello di Rivoli lança um local virtual real. Chama-se Cosmo Digitale e oferece uma seleção de obras não publicadas, expressamente criadas pelos artistas para serem apreciadas digitalmente. É possível também assistir conferências, filmes e vídeos: conteúdos projetados não para substituir, mas para complementar a visita clássica ao museu.

08)Museu e Real Bosco di Capodimonte – Nápoles

Entre os primeiros a aceitar o convite do Ministério para oferecer suas obras online, o Museu e Real Bosco di Capodimonte – que já oferecia a possibilidade de visitas virtuais no Facebook, Instagram e no Google Art & Culture – oferecem pílulas de arte online que vale a pena conferir.

Entre as mais recentes, uma visão sobre Ercole al Bivio de Annibale Carracci, uma obra-prima da preciosa Coleção Farnese e um vídeo dedicado a “Arti decorative… da far girare la testa” (Artes decorativas … para fazer sua cabeça girar), com obras que, fluindo rapidamente no filme, dançam ao ritmo do tammorra, um instrumento musicial de percursão.

09)Museu Egípcio de Turim

Trata-se do museu mais antigo dedicado ao Egito antigo, com a segunda coleção do mundo – depois do Cairo – pela quantidade e pelo valor das obras pertencentes a essa civilização antiga. Basta clicar aqui para fazer uma viagem pelos mais de 3.300 artefatos que o museu abriga entre estátuas, papiros, sarcófagos, múmias e aqui para ver a exposição temporária Arqueologia Invisível, que conta o trabalho meticuloso das pesquisas de egiptólogos assistidos pela tecnologia. O museu faz ainda mais: no Facebook e no Instagram o diretor Christian Greco oferece visitas em vídeo para contar os segredos dos objetos guardados no museu.

10)Triennale de Milão

Fluxos da Triennale no Instagram: inspirados no livro Decameron de Boccaccio – os protagonistas, um grupo de jovens, que no século XIV, se isolaram nas colinas nos arredores de Florença para escaparem da peste negra e contam histórias para passar o tempo.

São “histórias curtas” disponibilizadas quase todos os dias onde personalidades da cultura narram episódios deste momento muito particular que vive o mundo.

Tours virtuais em museus pelo mundo

Não deixe também de experimentar os passeios virtuais oferecidos por outros museus espalhados pelo mundo: Museus do Vaticano, Louvre de Paris, Museu Arqueológico de Atenas, o British Museum de Londres, o Prado de Madrid, o Metropolitan Museum de Nova York, o Hermitage de São Petersburgo, a National Gallery of Art de Washington e outros 1200 – por enquanto – a apenas um clique de distância no Google Arts & Culture.

Obs.: A maior parte dos sites mencionados possuem a versão em italiano e em língua inglesa.

Achou este artigo interessante?
Compartilhe em sua rede de contatos do Twitter, no seu mural do Facebook. Compartilhar o conteúdo que você considera relevante ajuda esse blog a crescer. Grazie!


Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *