Lorenzo Duque de Urbino, nasceu em Florença em 1492. Era o único filho de Piero, o Fátuo e Alfosina Orsini. Recebeu o nome em homenagem ao seu avô Lorenzo, o Magnífico. Era ainda muito pequeno, tinha apenas dois anos de idade, quando juntamente com a sua família, foi para o exílio, por causa dos erros políticos do seu pai.

Aos 20 anos de idade, graças ao exército do Papa Júlio II, ele retornou à Florença, juntamente com seus tios, o Cardeal Giovanni e Giulio de’Medici. A sua vida até esse momento era repleta de mudanças de cidade: Bolonha, Veneza, Urbino e Roma, a cidade natal da sua mãe.

Lorenzo gostava muito de Roma, cidade onde um jovem rico poderia se divertir… e muito! É importante lembrar que Alfosina, sua mãe e sua avó Clarice, pertenciam a uma das principais famílias romanas: os Orsini.

Quando retornou a Florença, ele não conhecia a cidade. A recíproca também era verdadeira: Florença não conhecia Lorenzino. Aos 21 anos de idade, lhe foi confiado o governo de Florença, como representante do tio, o Papa Leão X.

Leão X havia ordenado que Florença fosse governada segundo as normas do seu pai Lorenzo o Magnífico e que era necessário, evitar ofender o povo florentino e acima de tudo não, demonstrar muita ostentação em festas, roupas, etc. Nos primeiros dois anos, Lorenzino seguiu os conselhos de Leão, depois fez como bem entendia.

Lorenzo, Duque de Urbino – Rafael Sanzio

A amargura que o povo florentino sentia no coração por causa do mau governo de Lorenzo, gerou uma atmosfera política repleta de insatisfação. Foram feitas diversas conspirações para assassiná-lo.

Lorenzo, Duque de Urbino era homem de ação: quando estava livre dos compromissos políticos, ia à caça ou corria a cavalo nos arredores de Florença. Com, ele o Palazzo Medici voltou a ter o antigo esplendor de festas e banquetes.

Sua mãe, Alfosina, deixou Roma e veio viver com ele. Mas a relação entre mãe e filho, segundo as crônicas, não era muito boa. Ela reclamava porque Lorenzino não queria seguir as ordens vindas de Roma (de Leão X e do Cardeal Giulio de’Medici).

Lorenzo era um jovem rebelde e cheio de caprichos. Conseguiu reunir em si todos os defeitos e qualidades dos Medici: ao mesmo tempo era doce e vingativo. Era pronto para ser amigo, mas também a declarar-se um adversário irredutível. Não possuía a habilidade política do seu avô.

O Ducado de Urbino

Urbino, a cidade natal de Rafael Sanzio

Em 1516, com apenas 24 anos, Lorenzo de ‘Medici, graças à intercessão de seu tio Papa Leão X, recebeu o título de Duque de Urbino. Com astúcia, os Medici subtraíram o ducado dos Della Rovere, depois de uma guerra extenuante entre as duas famílias.

Com a morte do Papa Leão X, as tropas dos Della Rovere reivindicaram o direito ao seu ducado, de modo que a cidade de Urbino foi atacada de surpresa. Lorenzo de ‘Medici, duque de Urbino, não teve a pronta reação para defender seu novo reino.

Ele deu o comando da guerra ao cardeal Bibbiena (Bernardo Dovizi da Bibbiena), um grande intelectual, mas que não era um especialista na arte da guerra. Logo, ele foi forçado a se retirar e a família Della Rovere reconquistou o Ducado de Urbino.

Alessandro de’Medici

Alessandro

Lorenzo de ‘Medici, duque de Urbino, teve um filho ilegítimo que teve fora do casamento com uma serva chamada Simonetta da Collevecchio. Na verdade, segundo a crítica, Lorenzo cobria um alto membro da família: o cardeal Giulio de ‘Medici, o futuro papa Clemente VII, que teve um caso de amor com uma serva mulata. Seu filho Alessandro, na verdade, por sua pele escura era chamado de “Moro”, foi o primeiro duque da Toscana.

O casamento com Maddalena de la Tour d’ Auvergne

Maddalena de La Tour d’Auvergne – Jean Perréal 

Lorenzo se casou com Maddalena de la Tour d’Auvergne, uma jovem francesa, parente do rei Francisco I. Eles se conheceram no batizado do filho primogênito do rei. Era a primavera de 1518 e no Castelo de Amboise, a inegável beleza de Maddalena teve ter amolecido o coração do jovem Medici.

Ele tinha 26 anos e ela ainda não tinha completado 18. Os dois se casaram dias depois do batismo, pois a noiva já tinha sido escolhida tempos atrás por Alfosina e pelo Papa Leão X. Em Florença, Maddalena foi perdoada pelos florentinos – pelo fato de ser estrangeira – por causa da sua gentileza e beleza.

Após o matrimônio, Lorenzo parecia muito mais doce do que de costume, mas continuou ofendendo o povo florentino. Uma das ofensas mais sentidas, foi o fato de Lorenzo, após o retorno da França, ter deixado a barba crescer.

O uso da barba, era moda na França, mas era algo abominado em Florença naquela época. De fato, um dos retratos mais famosos que temos de Lorenzo, obra de Rafael Sanzio, ele é representado com barba.

A morte de Lorenzo Duque de Urbino

Em pouco tempo, Lorenzo adoeceu de um mal misterioso, provavelmente era sífilis. Ele morreu no dia 04 de maio de 1519. Um mês antes, no dia 13 de abril, Maddalena havia dado a luz a uma bela menina, a qual foi dado o nome de Catarina.

Maddalena morreu poucos dias após o parto. E assim, em menos de um mês, a recem nascida Catarina de’Medici, ficou órfã de pai e mãe. A Pequena Órfã, será destinada a ser a rainha da França.

Lorenzo retratado por Michelangelo

Lorenzo de ‘Medici, duque de Urbino, foi sepultado na famosa tumba projetada por Michelangelo, dentro da Sacristia Nova, no complexo de San Lorenzo, em Florença. Seu retrato de mármore, esculpido por Michelangelo, não retrata o seu verdadeiro rosto e é cercado pelas maravilhosas alegorias do Crepúsculo e do Amanhecer.

A Lorenzo Duque de Urbino, Nicolau Maquiavel dedicou a sua obra-prima: O Príncipe.


Cristiane de Oliveira

Brasileira do Rio de Janeiro, vive em Florença ha 12 anos. Apaixonada por arte, historia e bons vinhos. Guia de turismo e sommelier na Toscana.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *